Nem tudo começa aqui e nem tudo acaba aqui

Uma viagem conduzida por:

sábado, maio 19, 2007

O Adeus


A partida chegou finalmente... os nossos olhares guardaram, para a eternidade, aquele momento. Ambos sabíamos de que seria um adeus para sempre...
Quantos de nós nos despedimos, sabendo de antemão, que cada um viveria a sua própria vida num qualquer canto...?
Eu hoje recordo aquele olhar enigmático que me fez desistir, um dia, de um futuro desconhecido... de um futuro em que eu buscava a palavra amar nos teus olhos... porque eu nunca soube ler-te a palavra "amo-te".
Errante em mares inquietos, eu surgi nas manhãs de uma eternidade, fulminado com a saudade de te abraçar...
Às montanhas gritei por ti loucamente, secretamente... até ao anoitecer do meu Tempo...
Hoje posso escutar o eco desse Tempo quando as montanhas visito, pois elas foram testemunhas de um Tempo passado, sendo também testemunhas de um Tempo presente que te recordará para sempre...

3 comentários:

Sandra Marques disse...

Quantas e quantas vezes isso acontece?! Contemos palavras, guardamos em segredo tudo o que sentimos ... quantas vezes perdemos o amor só porque não nos expressamos com receio de sermos excluídos. Procuramos ler algo nos olhos e atitudes dos outros e nada encontramos ... talvez porque os outros também o sintam, mas também se escondam pelo mesmo receio.

Nada dizemos e muito perdemos...

Um grande beijinho!!

Caçador de Palavras disse...

um belo retrato de uma despedida, que de um modo ou doutro já todos experimentamos...

um grande abraço

tb disse...

quem tem medo de viver, já morreu mesmo que não saiba ainda.
Nada temos a perder e tudo temos a ganhar deveria ser o lema que nos guia os passos. Mas, quantos de nos, não sabemos. :)

Arquivo do blogue