Nem tudo começa aqui e nem tudo acaba aqui

Uma viagem conduzida por:

terça-feira, novembro 20, 2007

Labirinto


" Perdido num labirinto onde nem as palavras lhe pareciam reais, cansado da envolvente e enebriante névoa que parecia tomar-lhe a mente dia após dia... buscava em cada imagem a fuga de um outro eu...
Parecia-lhe poder vislumbrar a côr do silêncio, a magia que encerra cada palavra... o lugar onde cada poema nasce e morre. "

2 comentários:

a ALMA das IMAGENS disse...

Lindo este lugar onde cada poema é recitado em silêncio.
Abraço de alma.
Sempre!!...
Eu

Caçador de Palavras disse...

apenas poderia comentar este post escrvendo com uma esferográfica da cor do silêncio ;-)

aquele abraço

Arquivo do blogue