Nem tudo começa aqui e nem tudo acaba aqui

Uma viagem conduzida por:

sábado, agosto 30, 2008

O adorador do amanhã


O adorador do amanhã não morre
nas muitas mortes que morre a morte.
A todos os filhos do Medo acorre
sem ambicionar uma melhor sorte.

Gosta de cometer os mesmos velhos erros
sempre que se proporcione a oportunidade.
Para quê evitar um bom enterro,
se um cemitério é uma outra cidade?

Lapidares verdades?
A verdade é uma lápide.

2 comentários:

Ana disse...

muito bonito este trabalho!!!!

Passageiro do Tempo disse...

E as palavras que uma lápide guarda... são de pedra... e só o Tempo é dono delas....

Abraço!!

Arquivo do blogue