Nem tudo começa aqui e nem tudo acaba aqui

Uma viagem conduzida por:

domingo, fevereiro 15, 2009

[ O sentido sem sentido de um caminho... ]


“ E ele seguia o caminho que tantas vezes percorria, passo a passo, ouvindo o respirar do Tempo…
Nunca questionou a razão de ser daquela sua vida, daquele seu destino, nem sequer duvidava que pudesse ser diferente… «acomodara-se» pensava ele enquanto, devagar, o seu olhar se fixava nas aves que voavam ao longe, da côr do pôr-do-sol, daquela tarde de inverno...
Ele sabia que dentro de si havia perguntas às quais não queria responder, até o simples facto de pensar nelas lhe fazia um certo mal-estar, e, por isso mesmo, a solução de momento era sentir-se da côr daquelas aves que via todos os dias ao entardecer e esquecer a resposta às suas perguntas... “

2 comentários:

b disse...

Talvez o sentido estivesse no silêncio que ele quis fazer na mente.
Nem tudo que é resposta precisa ser urgente.
Lindo o blog.

Caçador de Palavras disse...

recordo-me desta imagem... tb a mim me incendiou a mente ;-)

aquele abraço

Arquivo do blogue