Nem tudo começa aqui e nem tudo acaba aqui

Uma viagem conduzida por:

domingo, janeiro 04, 2009

[ O Sinal do Sol... ]


" Ambos esperávamos pelo Pôr-do-Sol, todos estavam cansados e nem sequer conseguiam falar uns com os outros. O sinal que esperavam tardava já há dois dias... naquele lugar inóspito nem sequer o voo de uma ave conseguiam vislumbrar ao longe...
Afinal que sinal era esse? Teria de ser algo grandioso para que reparassem, teria o Sol uma côr fora do comum? Seria um cataclismo nos céus? Tinham-lhes dito que seria algo muito simples... mas ao mesmo Tempo inesperado... só um ou outro acreditava nessa «simplicidade» desse tão afamado sinal, num local onde parecia não acontecer nada.
O silêncio pesava cruelmente de novo neste final de dia... e todos pareciam, cada vez mais, em não acreditar que pudesse acontecer algo...
O mais velho de todos, levantou-se e olhou o Pôr-do-Sol vagarosamente... pareceu procurar no horizonte por algo e... sorriu... apontando muito suavemente para o lado esquerdo do Sol... disse «Olhem, finalmente chegou...» todos se levantaram.
Incrédulos não viam nada... apenas vislumbraram uma pequena gaivota a atravessar o Sol paralela ao horizonte... tentaram olhar mais adiante e nada... procuraram e nada... e reclamaram junto do ancião que os olhou incrédulo... e disse:
« Juntem as vossas coisas... viram aquela ave que passou por aqui? Temos de a seguir... e quanto à espectacularidade do sinal que tanto aguardavam, reparem bem à vossa volta... que maior Sinal querem vocês? Olhem bem - disse algo enraivecido - queriam uma chuva de estrelas, quando a Natureza vos oferece de mão beijada tudo isto?? O Sinal era aquela ave em voo paralelo ao horizonte...» E apontou o imenso mar que se entendia já em tons púrpura e laranja até onde a vista podia alcançar...
O silêncio que se seguiu envergonhou todos... de facto tudo agora parecia com uma dimensão fora do comum... todos olharam de novo para o mesmo lugar, tudo era tão perfeito, tudo era tão poderoso e, deslumbrados, conseguiram ver o que nunca viram... o simples tornara-se no complexo e teriam de estar mais atentos da próxima vez... "

2 comentários:

Caçador de Palavras disse...

nem sempre olhar é igual a ver ;-)

aquele abraço

a ALMA das IMAGENS disse...

É preciso estar atento aos sinais.
Abraço de alma

Arquivo do blogue