Nem tudo começa aqui e nem tudo acaba aqui

Uma viagem conduzida por:

terça-feira, novembro 11, 2008

O dia que quando chegou já tinha passado


Cheguei atrasado ao teu sonho, apanhei apenas o rescaldo da festa. Tu havias já partido há muito. Havia ainda serpentinas pelo chão e mesas em desalinho. Um ou outro conviva, de copo na mão, alongava-se ainda na descrição de tudo o que eu tinha perdido. Confundiam-me repetidamente com outra pessoa. Estavam convencidos de que eu assistira às mesmas peripécias que não se cansavam de recordar desse teu memorável sonho. Ainda tentei explicar que não, não era eu, mas acabei por me conformar em ouvir o que tanto prazer encontravam em partilhar comigo uma vez mais ...embora tudo aquilo fosse novidade para mim. Ocorreu-me que andasse nesse preciso momento um sósia meu à solta pelo mundo. Com certeza fora esse duplo que estivera lado a lado contigo nesse teu sonho, a que eu, para não variar, chegara atrasado. Pensei em como fora oportuna a minha demora. Poucas coisas são mais perigosas do que conhecermos o nosso outro eu. Dificilmente um de nós poderia sobreviver a tão fatídico encontro. Talvez fosse este sósia que te conhecesse e não eu. Caso contrário, que interesse teria eu em aparecer no teu sonho, e, doutro modo, que sentido haveria em enviares-me um convite que eu não recordo de receber?

4 comentários:

Ana São disse...

Todos nós temos um lado que vagueia livremente, vivendo sonhos, realidades invisíveis tantas vezes desejadas... no entanto nunca é tarde, nos mesmos sonhos nascerão outros muito parecidos que teremos a oportunidade de vivenciar e nunca chegar atrasados. De outro modo que sentido teria termos sonhado?? ;-) Beijitos. Linda a foto!

Passageiro do Tempo disse...

Um belo texto... e nunca é tarde...

Um grande abraço !

Joana disse...

Apercebemo-nos que mudamos quando damos conta que aquilo que sempre fez parte da nossa vida deixou de fazer sentido.
Os sonhos só fazem sentido se forem mudando à medida que vamos crescendo. ;)

Anónimo disse...

Adorei...


Beijinho!


Marla

Arquivo do blogue