Nem tudo começa aqui e nem tudo acaba aqui

Uma viagem conduzida por:

segunda-feira, abril 20, 2009

As duas estradas


Teria optado bem ao tomar a estrada de cima ou deveria ter seguido a estrada de baixo? Tinha de estar no local da reunião ao princípio da tarde sem falta… De qualquer modo estava tão alto na montanha que isso parecia um pormenor sem a mínima importância, ridículo até! Olhasse para onde olhasse não via vivalma. Nunca se sentira tão longe dos homens e do mundo… Por um momento não se sentia escravo da vida. Que interesse tinha se houvesse perdido o rumo e se encontrasse a milhas de onde deveria estar? Sabia lá se era manhã ou tarde! Talvez fosse apenas tarde na manhã, o compromisso ideal entre dois períodos de tempo irreconciliáveis. Era assim que se sentia: como um homem em que convergissem dois seres separados pelo passado e pelo futuro. A chuva não deveria tardar muito mais... Viesse ela! Que o lavasse de todas as impurezas e inúteis incertezas da viagem!

2 comentários:

Passageiro do Tempo disse...

Absolutamente notável... um texto fabuloso, muito bem escrito... e... pergunto... para onde nos vai leva esta viagem no Paralelo 77? Só posso dizer-te que cada vez está mais interessante esta viagem...

:)

Grande abraço!

Laranjinha disse...

Vem, chuva. Vem.
Também me quero libertar, ver soltas as impurezas que me sujam a alma com marcas de risco indelével! *

http://escritoemlaranja.blogspot.com

Arquivo do blogue