Nem tudo começa aqui e nem tudo acaba aqui

Uma viagem conduzida por:

domingo, fevereiro 11, 2007

Hangar da Luz


Sinto o meu velho corpo desgastado por todas as missões empreendidas no mundo dos homens...

Vejo-me ao espelho e sinto-me um pouco como um velho avião de guerra em que a tripulação gravou poemas, desenhos e símbolos na fuselagem, transformando-o num gigantestica mensagem de desespero e resignação prestes a descolar para mais um voo para além das linhas inimigas...

Só que os ditos poemas, desenhos e símbolos não estão gravados a ferro em brasa no meu corpo, mas sim tatuados em fumo na minha alma.

Cansam-me os homens... talvez fosse já o tempo de recolher ao hangar e transformar-me num museu à memória da Humanidade.

Mas amanhã há um novo dia... e porque não uma nova aventura pelo mundo dos homens?

2 comentários:

Sandra Marques disse...

Escolhe a aventura pelo mundo dos homens, pois ainda é cedo para recolher e resignar.
Uma boa semana!

Passageiro do Tempo disse...

Viver sempre como o último.... e porque não?

Abraço!!!!

Arquivo do blogue