Nem tudo começa aqui e nem tudo acaba aqui

Uma viagem conduzida por:

quarta-feira, fevereiro 07, 2007

Nave carril

...e chegou o dia da partida.

"Levas-me contigo?" Perguntaras incontáveis vezes.

"Claro." Respondera sempre eu, sem hesitação, sem sombra de dúvida, sossegando-te com a minha mão sobre a tua.

Mas a verdade é que no dia da partida não te chamei...

Cobardia? Realismo? Medo?

Não o sei dizer.

O facto é que a terra avançou mar adentro e eu nem sequer olhei para onde ficava a tua casa... nem um último olhar guardei para a despedida.

A distância entre nós aumentou virtiginosamente embora o número de passos entre a minha nave e a tua casa se mantivesse insolitamente inalterada.

Eu era o viajante e a viagem, eu era o veículo e o caminho...

Não me recriminarias tu um dia por eu te ter trazido na minha jornada?

Não me recriminarias tu um dia por eu te ter deixado para trás?

Não me recrimanaria eu um dia por não te saber amar?

5 comentários:

Sissi disse...

Lindo de verdade... sem palavras, apenas reflicto no que li... Abraço amigo
Sissi

ana maria costa disse...

migo quando puderes envia-me o endereço do teu email para:
amscosta@modelocontinente.pt

Passageiro do Tempo disse...

Por vezes o mar engole o caminho de areia que nos poderia fazer voltar atrás... há um tempo para tudo... para amar inclusivamente...
Gostei muito do teu texto...
Consegues exprimir sentimentos de uma forma muito própria e, ao mesmo tempo, tão simples...

Abraço grande!

ACENDALMA disse...

Altruísmo, sentimento complexo, traduzido por palavras simples!

Talvez

Andreia Gama disse...

Lindo texto! Parabens!=)

Arquivo do blogue