Nem tudo começa aqui e nem tudo acaba aqui

Uma viagem conduzida por:

terça-feira, janeiro 30, 2007

A dor ar



A dor ar...

A dor é o ar que inspiro e expiro.

A dor é o tudo à volta e o nada em redor.

A dor respira-me e pensa para com os seus botões que eu sou um tipo de poluição que urge combater.

A dor decide que chegou a hora de me proibir em todos os recintos fechados e em todos os espaços abertos.

A dor aumenta-me o preço e calcula montantes para as multas a aplicar caso alguma das suas irmãs tente sacar-me de dentro dum maço de melancolia.

Ai de quem seja doravante apanhado a fumar a minha dor!!!

3 comentários:

Passageiro do Tempo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Passageiro do Tempo disse...

Podemos ser tudo e podemos não ser nada ao mesmo tempo... assim como podemos querer tudo e não querer nada ao mesmo tempo também...
Interessante o teu texto na maneira em que "defines" dor... gostei bastante!

Grande abraço!!!!

Sissi disse...

Amigo,nós temos muito poder, muito mais do que imaginamamos ser possível...se inspiramos a dor, tb a podemos expirar e não voltar mais a inspirar...Façamos como nos ensinam na prática da yoga...inspiremos em forma de luz e a deitemos fora a dor em forma de fumo negro...façamos com que a dor dê lugar ao bem estar interior, façamos com que o nossso coração se abra para o amor, porque o amor é luz.
Grande Abraço, amigo caçador de Palavras.
Sissi

Arquivo do blogue