Nem tudo começa aqui e nem tudo acaba aqui

Uma viagem conduzida por:

terça-feira, janeiro 09, 2007

O jornalista do dia sem notícias

Coube-me em sorte, de acordo com o novo decreto-lei que estipula que todos os cidadãos devem ser jornalistas por um dia, a data de hoje para levar o noticiário à vasta comunidade humana que se espalha pelos quatro cantos do planeta.

Devo concluír que de facto sou uma pessoa pouco afortunada, pois nenhum evento digno de nota ocorreu durante aqueles que deveriam ter sido os meus 15 minutos de fama.

Não caíram aviões, nenhuma guerra se iniciou, zero barcos naufragaram, não houve atentados terroristas, não se registaram acidentes de trânsito e sobretudo, azar dos azares, ninguém morreu.

Assim sendo, resolvi encher o telejornal mundial com imagens do bater das ondas na praia.

Não sei se houve reclamações, telefonemas indignados, vozes iradas, mas o facto é que, recordem, hoje não houve nada de significativo... não aconteceu nada de mau no mundo - deixarei apenas este facto a abonar em minha defesa.

5 comentários:

Laranjinha disse...

Somente um fenómeno tão belo como o ondular do Mar! *

António Gil disse...

Deixaste 3 belos compassos da Eternidade neste magnífico Paralelo 77...e quando uma borboleta bate as asas isso influencia benevolamente todo o Universo...

Sandra Marques disse...

Desejo que todos os jornalistas tenham a tua má sorte :-) assim não acontecerão coisas tristes no mundo.
Boa semana!

Passageiro do Tempo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Passageiro do Tempo disse...

E se a Eternidade durasse quinze minutos?
Grande abraço!

Arquivo do blogue